Imigração no Exterior – o que fazer?

Passar pelo controle de imigração em outro país é uma das coisas que mais preocupa os viajantes. Existem inúmeros relatos aterrorizantes que podem fazer qualquer um desistir de viajar.

Calma. Hoje vou dar minha dica de ouro. Aprendi sozinha mesmo. Nunca ninguém me disse para fazer isso, mas com certeza muitas pessoas devem fazer a mesma coisa no mundo todo.

Viajando por conta própria ou por agência, sozinha ou acompanhada, eu construo um roteiro o mais completo possível e incluo nele todos os dados da viagem, dia a dia com tudo que eu pretendo fazer. Coloco os dados dos voos, das hospedagens, da reserva do carro se eu for alugar um, cidades por onde vou passar e o que eu gostaria de ver e fazer em cada uma delas, preço de tudo, telefones de emergência, endereço e telefone do consulado ou embaixada do Brasil naquele país, dados pessoais e listas, do que levar, do que comprar (tudo com o preço no Brasil convertido em dólar e nos sites das lojas do país pra onde eu vou).

Depois de tudo pronto no roteiro, copio tudo e coloco pra traduzir no Google tradutor, para o inglês ou o idioma do país para onde eu estou indo. E se eu tiver uma escala longa em outro país de outra língua, também traduzo para este outro idioma. Imprimo tudo, salvo na nuvem, no celular e mando uma cópia pra minha família (assim eles sabem onde vou estar em cada dia).

Quando chego na imigração apresento meu passaporte e o cartão de embarque do voo e já fico com o roteiro impresso em mãos. Caso o oficial da imigração pergunte algum dado específico da viagem além das perguntas mais comuns eu mostro a ele o meu roteiro e ali ele pode ver tudo.

Fazer isso sempre me ajudou muito. Já estou acostumada com as perguntas comuns, em ouvi-las em inglês, entender e responder. Mas, sempre que eu mostro o roteiro após alguns segundos lendo ele a pessoa sempre me devolve com um sorriso, carimba o passaporte e me deseja uma ótima viagem. Em algumas ocasiões recebi até dicas de como usar o transporte público ou visitar alguma outra atração que eu não havia listado.

Quando eu falo em perguntas comuns são elas: – De onde você está vindo (sim, porque você pode estar vindo de outro país que não o do seu passaporte)? – Para onde você vai? – Quanto tempo pretende ficar? – Qual o propósito da sua viagem? – Que lugares pretende visitar além da cidade de chegada?

Outras perguntas como: -Onde você vai ficar hospedada? eu ouvi poucas vezes. E perguntas sobre quanto dinheiro eu tinha ou cartões de crédito e seguro viagem, eu nunca ouvi.

Nos Estados Unidos, quando fui pela segunda vez em diante, sempre me perguntam quando foram as visitas anteriores e as cidades para onde eu havia ido. Essas são informações que eles já tem no sistema, mas que fazem mesmo assim por questões de segurança.

Essa é a minha dica de hoje, pra diminuir a ansiedade e preocupação de você viajante com a imigração. Fazer esse roteiro não vai te ajudar só na imigração, mas vai te ajudar a viajar melhor, aproveitar melhor o seu tempo e o seu dinheiro.

Se inscreva no blog e no canal para mais dicas e siga a gente nas redes sociais. Agora também temos Snapchat: patriciaviaja.

Um beijo e até o próximo post.

via IFTTT

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s