Paris 1 – Museu D’Orsay e Arco do Triunfo

Demos entrada no hotel em Paris, devolvemos o carro na Gare de Lyon, ali mesmo na frente da estação já tem uma estação de aluguel de bicicletas velib. Fizemos nossos cadastros, pegamos as bicicletas e seguimos em direção ao Museu D’Orsay para aproveitar nosso passe de 6 dias do Museum Pass Paris.

Para andar de bike, baixamos os aplicativos nos celulares, HERE maps e Maps.me. Eles funcionam no modo offline, não precisa ter internet. Com o localizador gps do celular ativado o aplicativo localiza a gente na cidade e a partir daí traçamos a rota para onde queremos ir, ou de carro ou a pé, ainda não existe o modo de bike. Lembre de desativar a opção de evitar o trânsito, porque como a velocidade da bike é menor o app entende que você pegou trânsito e fica refazendo a rota. O ideal é escolher a rota para o carro, pois a bicicleta deve seguir as mesmas mãos de direção dos carros, e em calçadões o ciclista deve desmontar da bike e caminhar empurrando-a.

Conseguimos chegar sem problemas, e podemos ir apreciando as ruas de Paris às margens do Rio Sena, lugares que antes vimos em filmes e seriados, agora sentíamos com todos os sentidos.

post-banner

Nesse dia o Museu D’Orsay ficaria aberto até mais tarde, tínhamos bastante tempo. Devolvemos a bike na estação mais próxima e paramos pra lanchar em frente ao museu. Levamos nosso lanche, água e suco, um hábito que adquirimos nas viagens e que ajudam a economizar dinheiro e tempo. As refeições mais demoradas deixamos sempre para fazer de noite no hotel. Assim, temos o dia com as horas muito aproveitáveis para conhecer os pontos turísticos.

Começamos pelo último andar do museu e fomos descendo. Existe um terraço bem atrás do famoso relógio de onde podemos ver a Basílica de Sacre Coeur, a roda Gigante em frente ao Jardim das Tuileries. Tudo é lindo, a vista, os quadros, as esculturas, os móveis. A disposição das salas e das obras fazem a gente dar algumas voltas e ficar indo e voltando, mas nada entediante. Para uma pessoa ignorante em termos de arte eu gostei muito.

Depois de vermos bastante, não vimos exatamente tudo, decidimos ir para o Arco do Triunfo aproveitar a noite.

Mais uma vez pegamos outra bicicleta e fomos para o Arco do Triunfo, passando pela ponte Alexandre III, e entrando na avenida Champs Élysees, desde a roda gigante até o Arco do Triunfo. Andar de bicicleta em Paris é muito seguro, e de todas as ruas e avenidas a pior foi a Champs Élysees, por conta da fila dupla formada pelos carros e esse grande movimento de carros, e de turistas e ônibus de turismo. Apenas isso é o que posso dizer ter sido o pior andando de bike. Não representou nenhum problema para nós e nenhum risco, só escrevo para fins de informação caso alguém tenha dúvidas sobre a segurança de andar de bicicleta em Paris.

O Arco do Triunfo também é parte do passe de museu que compramos, pegamos uma pequena fila e subimos os degraus infindáveis que levam até o topo de onde se pode ver mais uma vez a cidade e a Torre Eifel, que já estava acesa e brilhando.

Ficamos ali contemplando a cidade por todos os lados até que ficou realmente noite e fomos embora. Descemos todos os degraus de novo, parando no meio para ver a lojinha de souvenirs.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais.

Um beijo e até o próximo post.

via IFTTT

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s