Pular para o conteúdo
Anúncios

Veneza – Onde ir e o que comer?

Primeira dica para conhecer Veneza, durma na cidade. Dormir e acordar em Veneza faz toda a diferença no bom aproveitamento do custo que a cidade tem. Eu vou explicar.
Veneza é uma cidade bem cara em comparação a todas as cidades italianas. Mas fazer um bate e volta não vai resolver a vontade do turista que quer conhecer a cidade, é preciso um pouco de calma, e muita caminhada pelas vielas, campos e pontes para perceber e viver um pouco do encanto de Veneza. Por isso, se estiver planejando uma passagem por Veneza, inclua uma ou duas diárias por lá e você não vai se arrepender.

Acordamos bem cedo para continuar a conhecer a cidade, no dia anterior, quando chegamos de carro, já fizemos uma longa caminhada da Piazzale Roma até o Hotel e depois em toda a parte sul, um dos lados mais tranquilos de Veneza, dormimos bem e acordamos renovados, prontos para aproveitar o dia, sem preocupações com horários. Selecionamos todo o restante da cidade, a parte central, uma parte da parte norte e ainda quase toda a região de Dorsoduro, onde fica a Basílica de Santa Maria della Salute, construída por ocasião da peste negra como uma proteção aos cidadãos e um agradecimento pela cura.

A região da praça San Marco é a mais movimentada de todas, mas por ser uma grande praça (a única considerada assim, os demais são campos ou pátios) é possível circular facilmente e tirar muitas fotos, de todos os prédios que a rodeiam. Por ser o principal ponto turístico da cidade, os restaurantes ao seu redor são os mais caros e nem sempre os de melhor qualidade, já que o foco é atender o maior número de pessoas no menor tempo. É nas ruas estreitas, nas vielas longe dos holofotes e nos pequenos campos (ou pátios) onde se encontram os restaurantes locais mais acolhedores, com melhor preço e qualidade. De todo modo, tenha em conta que a média de €15 por uma refeição, com dois pratos ou um prato e uma sobremesa e uma bebida, é um bom valor. Claro que sempre é possível comer por menos, procurando um pouco mais, ou reduzindo as opções, e com certeza é possível comer mais pagando muito mais caro.

Comer sentado é mais caro. É isso mesmo. Na Itália, via de regra, usar o serviço do restaurante, sentando nas mesas e sendo servido para comer sai mais caro, em geral 50% a mais. Tomamos um café da manhã reforçado e deixamos para almoçar na região de Dorsoduro, onde está a Academia de Belas Artes. É uma região pouco movimentada de turistas e mais residencial e estudantil. Comemos massa, talharim e lasanha, cada prato custou €8, acrescentando as bebidas (refrigerante e água) e o serviço a conta ficou em €24. Outro detalhe é que na Itália, assim como em alguns outros países, água, refrigerante e vinho tem quase o mesmo preço.

O melhor sorvete da vida, GROM. Algo que não parecia possível, eleger um melhor em sua categoria, mas esse sem dúvida é o melhor sorvete que já experimentamos em toda a vida. Os sabores de caramelo salgado e pistache são deliciosos e o de chocolate tem uma leveza e sabor fiel ao melhor chocolate que já comemos. A empresa defende o título de sorveteria artesanal que não utiliza conservantes e nem saborizantes nas suas receitas e encontramos a loja também em Roma na Termini.

O QUE VER EM VENEZA

A praça San Marco concentra a Basílica de São Marcos, construída no século XII, conhecida como “A Igreja de Ouro” por causa da sua decoração, que mistura estilos italianos e bizantinos. Do lado esquerdo da Basílica está a Torre do Relógio, que é do século XV, e tem o estilo renascentista,  com estátuas do Leão de Veneza da Virgem e da Criança). Ao lado da Basílica está o Palácio Ducal, construído entre o sec. XIII e XV, já de estilo gótico, foi a sede do governo e a residência do Doge eleito, também conhecido por abrigar o  local da prisão de Giacomo Casanova. Conhecida como a Torre de Veneza, ou Campanário de São Marcos, foi originalmente construída no Séc. XV, mas em 1902 desmoronou, e em 1912, foi erguida uma réplica perfeita da torre original. Há cinco sinos dentro da torre do sino, cada um com seu próprio propósito. Os outros prédios ao redor da praça são os prédios da procuradoria que abrigam órgãos do governo e também serviços turísticos, além de lojas e restaurantes.

Ponte dos Suspiros, é a primeira do mundo com esse nome,  é um dos lugares mais visitados de Veneza, fica logo atrás da praça San Marco, e é possível vê-la da ponte que está junto ao grande canal, perto da estação de vaporeto. Tem esse nome por estar localizada entre as salas de interrogatório do Palácio dos Doges e a Prisão Nova. Os condenados suspirariam ao passar a ponte quando viam a cidade de Veneza uma última vez antes de serem presos para o resto das suas vidas.

Ponte da Accademia, a ponte em arco de Veneza, originalmente feita em ferro e  inaugurada em 1854. É uma das quatro pontes que atravessa o Grande Canal, as outras são a Ponte de Rialto, a Ponte dos Descalços e a Ponte da Constituição. Logo em seguida está o prédio da Academia de Belas Artes e mais a frente chega-se a Basílica de Santa Maria da Saúde, um ícone de Veneza, em estilo barroco (às vezes chamada La Salute) construída pouco tempo depois de Veneza ser atingida pela peste. Supunha-se que a construção da igreja salvaria a cidade da Peste Negra e muitas das obras de arte que decoram o interior referem-se de algum modo à doença.

Palácio Ca’Rezzonico, é um dos mais famosos palácios de Veneza, com a fachada principal voltada para o Grande Canal. Acolhe o Museo del Settecento Veneziano, um museu público dedicado ao século XVIII veneziano.

Praça São Paulo, é o maior campo (ou patio) de Veneza e o espaço público mais popular depois da Praça de São Marcos. No início era destinado à agricultura e pastagens, foi inteiramente pavimentado em 1493, e instalado no centro o poço. Passou a ser usado para mercados, feiras e grandes reuniões. recebendo da praça San Marco os pequenos mercados dos pobres. Foi local de teatro de rua, festas públicas, jogos e corridas de touros, proibidos em 1611. No local está a Igreja de São Paulo, do século IX, com obras de arte de Tintoretto, Paolo Veronese ou Salviati, tem marcas de vários estilos arquitetônicos, devido às restaurações que sofreu nos séculos XV e XVIII.

Ponte de Rialto, logo após o Mercado de Rialto,  está uma das quatro pontes que atravessam o Grande Canal de Veneza, construída em 1181 (a mais antiga das quatro). A ponte original foi substituída por pontes mais modernas até que finalmente alcançou a sua forma atual em 1591. Nas escadarias e topo da ponte, há muitas lojinhas de lembranças e jóias, é a mais movimentada de toda a cidade.

Outros lugares que nós também adoramos conhecer em Veneza foi a região sul onde estão os jardins, a área do arsenal e toda a parte exterior de Dorsoduro, oposta ao grande canal, de onde é possível ver a região de Giudeca e a Igreja do Santíssimo Redentor .

Passe pelo menos uma noite e um dia inteiro em Veneza, você não vai se arrepender de ter gasto esses euros a mais.

Assista o vídeo, e para receber mais conteúdo como este se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook, e Twitter).

Nessa viagem tivemos boas parcerias, usamos os chips da Easysim4u com internet ilimitada em todos os países, a cobertura da Seguros Promo (para a Patricia), e a Banggood que ofereceu alguns acessórios de viagem .

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

easysim banner

Europa 1

veneza

Anúncios

1 Comentário »

Deixe uma resposta para AEROPORTO Charles de Gaulle e voando com a Cia Aérea AIRFRANCE – PATRICIA VIAJA Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s