Anúncios

Categoria: Arrumando as Malas

Natura dá R$150 nas compras acima de R$300, só até 14/12/2017

A Natura está concedendo R$150 de desconto nas compras acima de R$300. A promoção vai até 14/12/2017, e não é cupom, só não vale a soma de itens da seção “presente”. O melhor, os cupons promocionais são cumulativos. Tem cupom especial de 10% do blog  basta digitar PATRICIAVIAJADEZ no campo de cupom antes de finalizar a compra. Clique aqui para ir para o site.

Continue lendo

Anúncios

Arrumando as MALAS (Grécia e Espanha)

Eu adoro arrumar as malas pra viajar, simplesmente amo mesmo.

Fico por semanas anotando o que quero levar, vou colocando e tirando itens da lista e me divirto fazendo isso. Monto os looks mentalmente e vou acrescentando na lista. Uma semana antes garanto que as roupas e sapatos que planejei levar estejam limpos e prontos para a viagem.

Nessa viagem tivemos um diferencial e recebemos capas personalizadas da Mimoscool que ficaram muito bonitas, do jeito que a gente pediu e na medida exata para as nossas malas. As capas ajudam muito a dificultar qualquer ação de roubo da bagagem, protegem contra sujeira, e fazem parte de nós, representam a nossa personalidade, o que nós somos como viajantes. O melhor, os leitores do blog tem desconto na compra de produtos no site.

Chega então o dia de começar a colocar tudo na mala. Costumo fazer isso uns 2 dias antes da viagem. Pego a mala, a mochila e a bolsa que vou usar na viagem, coloco sobre a cama. Pego tudo que coloquei na lista e coloco em pilhas organizadas sobre a cama, de frente para o lugar onde elas deverão ir, mala, mochila e bolsa.

Depois de tudo colocado sobre a cama, começa a análise real. Separo em 3 pilhas: certeza, dúvida e retirar. Deixo a pilha do retirar ali, sem guardar pois posso ainda mudar de ideia. Experimento os looks, olho para o calendário com o planejamento de cada dia, vejo a previsão do tempo, que agora a menos de 3 dias do início da viagem já vai ser mais acertada.

Na minha cabeça, enquanto fui acrescentando as roupas na lista e os sapatos tudo ia combinar e ficar lindo, porque me vejo bem mais magra e alta do que eu realmente sou, rsss … Experimentar as roupas na frente do espelho melhora as decisões. Penso sempre em conforto, e em segundo lugar uma coisa diferente do que costumo usar no dia a dia… e apesar de amar camisetas e tênis, estou tentando trocar as camisetas por blusas mais arrumadinhas.

Feitas as provas e definidas as escolhas, agora eu guardo as roupas e sapatos que não vão mesmo, e me concentro no que ficou sobre a cama. Penso em quantas vezes vou querer repetir uma combinação de roupas ou uma peça e repenso se vale a pena levar uma peça que só será usada uma única vez, então retiro essas também. Pra mim é muito fácil levar pouca roupa porque sempre sei que vamos ou lavar roupa no banheiro do hotel ou em uma lavanderia.

Estou reduzindo a cada viagem a quantidade de cremes e itens de higiene, porque sempre acabo trazendo de volta 1/3 ou até metade do que levei, o que revela o peso inútil que eu carreguei. Com a maquiagem tem sido um pouco diferente, comecei a levar mais a sério usar pelo menos a maquiagem básica e melhorar minha apresentação pessoal. Mas, tem itens de maquiagem que definitivamente eu uso muito pouco, como as sombras. Mesmo levando só um pequeno trio de sombras, acho que usei 3 vezes no máximo na viagem, então na próxima esse item será substituído por um lápis sombra e só.

Nessa viagem de verão, levei 2 tênis de passeio e um chinelo, que foi muito mais do que suficiente. Minha dica é levar palmilhas com amortecimento ou calcanheira, pois os tênis de passeio não tem a parte de trás alta e ao final do dia as pernas doem muito mais do que se estivesse com tênis de corrida ou caminhada.

Cada mala que arrumo e cada viagem me ensinam como é melhor viajar leve, menos é mais, e o saldo dessa viagem foi que eu levei e não usei alguns cosméticos e usei só uma vez 2 peças de roupa, enquanto o Willian, deixou intocadas mais de 10 peças de roupa, entre camisetas, calças, meias e cuecas.

Ficou curioso com tudo o que levamos, assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook, e  Twitter).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

via IFTTT

Roupas, sapatos e acessórios para viagens de inverno e neve

Chega a hora de arrumar as malas pra viajar e o destino está na estação do inverno. E agora? O que levar? A gente mora no Brasil, ou um país tropical e por mais que tente não consegue decidir com clareza o que realmente vai precisar e vai funcionar no frio extremo. Uma ajuda sempre é bem vinda, e se for sobre a experiência própria é muito mais confiável. Por isso resolvi fazer esse vídeo mostrando o que eu tenho, já usei e como usei nas viagens de inverno e minhas considerações sobre o que é indispensável.

Começando pelos pés mostro os 3 tipos de botas de inverno que eu tenho e ressalto a importância delas serem impermeáveis e térmicas. Na minha opinião o aquecimento e conforto dos pés comanda todo o sucesso e proveito da viagem.

Depois das botas vêm as meias térmicas, que não são todas iguais, também mostro os tipos diferentes de meias que eu tenho e falo sobre quando usar cada uma. As botas e as meias estão no topo da lista de itens essenciais para ter, comprar mesmo, e não alugar.

O aluguel de vestimenta e calçados para neve não é uma economia, exceto para crianças em uma situação de viagem que irão utilizar por um único dia. Fazendo uma breve pesquisa de valores de aluguel em regiões de estações de esqui, descobre-se que mais de um dia de aluguel já cobre o valor de no mínimo o calçado e a calça. Excluí de propósito o casaco, porque em uma viagem de inverno, não é concebível que o viajante, de que idade for, consiga suportar o vento e o frio da cidade, ou da montanha, ou da neve com casacos simples para o inverno no Brasil. Então o casaco está fora da hipótese de aluguel, vai acabar sendo comprado mesmo. Outro ponto crucial negativo no aluguel é o fato de que as chances de se ajustarem perfeitamente são mínimas, via de regra irão ficar grandes, as calças ficarão grandes. E as botas, bem as botas geralmente são a pior parte, além de não serem tão confortáveis, pelo mesmo motivo acabam permitindo a entrada de umidade, provavelmente pela má qualidade. Sem falar do odor, sim, nem as roupas e nem as botas são lavadas a cada aluguel.

Voltando ao tema do vídeo, vale a pena sim comprar as botas. As meias tem que ser compradas, porque não acredito que podem ser alugadas. E as calças também vale a pena comprar, mas só mesmo se você for praticar esportes de neve, e por mais de um dia. O ponto mais positivo de ter a própria calça de neve é que o tamanho será escolhido por você, só você vai usar e você saberá que elas estão limpas sempre. No Brasil não é tão difícil de encontrar e com um pouco de paciência é possível encontrar bons preços nas temporadas de liquidação. Por isso, se você pretende viajar para um destino com neve fique de olho nas lojas on-line.

Vestir-se no frio e para a neve importa em vestir-se em camadas. Por baixo de todas as camadas de roupa, estará sempre uma calça (opcional) e uma camiseta de manga longa, curta ou sem mangas. Essa peça de roupa é fina e deve ser ajustada, como uma segunda pele sobre o seu corpo, pois vai manter o calor do seu corpo preservado. A calça é opcional, desde que você seja calorento e use uma calça de neve impermeável e com ótimo material térmico. Mas se a viagem não vai exigir calça impermeável porque não será praticado esporte na neve ou brincadeiras na neve, eu aconselho a ter sim a calça térmica que vai por baixo da calça comprida. Esse material é leve e seca rápido, não é preciso ter muitas peças.

Por cima da primeira camada (conhecida como segunda pele) virá a calça como última camada e na parte do tronco o fleece. Já falei sobre a calça impermeável e sua relevância. O fleece é a segunda camada, intermediária no frio intenso, no inverno e na neve, mas pode ser a última camada na estação do outono. O material do fleece é apresentado com algumas variações de espessura, existindo materiais mais finos e fechados com pouca elásticidade e muita proteção térmica e os mais maleáveis que oferecem conforto térmico, mas não barram muito o vento. O fleece não precisa ter a função de corta vento, mas alguns conseguem ser mais bloqueadores do vento. Pode ser encontrado em diferentes formatos de gola.

A última camada do tronco, a terceira camada é a peça que vai barrar o vento e a umidade, indo de resistente à água até impermeável, além de térmicas. As peças mais térmicas são as que possuem um recheio de manta em sua estrutura. Também existem as peças de softshell que é semelhante ao neoprene, mas não tenho nenhuma dessas, então nem mencionei elas no vídeo Esse material apresenta uma das últimas tecnologias no assunto e também é usado na fabricação de calças e é usado na neve.

No vídeo eu mostro dois tipos de casacos para neve e um corta vento térmico só resistente à água e ainda um colete térmico muito versátil e prático.

Assista o vídeo, se inscreva no blog para receber os posts e no canal para receber os vídeos e siga a gente nas redes sociais.

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

via IFTTT

%d blogueiros gostam disto: