Anúncios

Categoria: Dinheiro

US$ DÓLAR ou € EURO – Quanto levar na viagem?

Uma das dúvidas diárias dos viajantes é a quantidade de dinheiro que precisa ser levado em uma viagem.

Não se trata só do tipo de orçamento da sua viagem, mas de um fator decisivo para a sua liberação pelo setor de imigração de outro país. Sim, muitos países exigem que o turista estrangeiro tenha um mínimo de dinheiro disponível e comprovado ao entrar no seu território. Por questões legais e para evitar a entrada de imigrantes de forma ilegal.

Nós sempre temos em mente um valor mínimo que consideramos para cada um e para cada dia de viagem.

Esse valor é o montante de US$50. Ou o equivalente na moeda do país de destino do viajante.

Para muitos será pouco, mas acredite há quem viaje com menos da metade dessa quantia acreditando não existirem regras. E muitos outros, exagerados viajam com muito mais do que isso e por vezes violam a própria regra brasileira que permite que o brasileiro ou estrangeiro saia do país com até (limite máximo) R$10.000 (dez mil reais) ou o equivalente em outra moeda.

Para aqueles, que como nós não abre mão dos benefícios e segurança dos cartões de crédito nas viagens, o valor diário pode ser comprovado por meio da última fatura do cartão em que conste o limite de crédito disponível ao seu titular. Tenha certeza de que sendo exigida a comprovação o oficial da imigração conseguirá entender os dados na sua fatura de cartão de crédito.

Os cartões travel money também servem como comprovante, desde que acompanhados de um extrato ou saldo recente. Da mesma forma os antigos travelers cheques, quase extintos.

O objetivo de estabelecer um ponto de partida, uma quantia mínima diária está em assegurar que o turista terá fundos suficientes para realmente viver como turista no país, sem se tornar um ônus para o governo local, ou um eventual imigrante ilegal.

Mesmo que toda a sua viagem esteja paga, ou ainda se a viagem tiver como objetivo visitar um amigo ou parente que more no local e o turista não vá se hospedar em um hotel, a obrigatoriedade de apresentar comprovação de meios de subsistência, como é o caso do dinheiro, ou cartões, permanece.

Esteja preparado para a sua próxima viagem internacional.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook, e Twitter).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

via IFTTT

Anúncios

TAX-FREE (REFUND) – DEVOLUÇÃO DE IMPOSTO – DICAS

Todo viajante que já se aventurou para fora do seu país sabe que fazer compras no exterior pode ser de grande economia. Melhor ainda é saber que além dessa economia você pode receber parte do valor que pagou de volta.

Alguns países isentam o turista do pagamento de impostos sobre produtos comprados. Isso é o TAX FREE, ou melhor TAX REFUND. Mas antes que você fique animado, saiba que tem regras, limites mínimos de valores, tipos de produtos e formas específicas de requerer essa devolução de impostos.

Então, já que você se interessou pelo assunto, vou te dar mais um conselho: Planeje bem os dias e locais onde irá fazer suas compras. Se possível escolha as lojas que participam do programa de devolução do imposto.

Tente concentrar suas compras no mesmo dia e nas mesmas lojas para alcançar os valores mínimos para se habilitar ao pedido de devolução do imposto.

Se estiver viajando pela Europa, saiba os limites mínimos de gasto para devolução em cada país, antes de sair comprando ou até antecipar as compras ao invés de deixar para o último minuto.

Agora vou enumerar alguns dos países mais visitados pelos brasileiros, que oferecem esse benefício e os limites mínimos de valor para obter a devolução:

AMÉRICA DO SUL:

ARGENTINA – Em compras acima de $70 (setenta pesos argentinos), e nos pagamentos de hospedagem.

CHILE – A hospedagem paga em dólares (em espécie) é isenta de IVA.

COLÔMBIA – Em compras acima de 10 Unidades de Valor Tributário – UVT, que em 2017 é de COP$318.590.

ECUADOR – Em compras acima de USD 50,00.

URUGUAY – Em compras acima de UYU600. Devolução por temporada (em 2017 aconteceu até o mês de abril).

AMÉRICA CENTRAL:

BAHAMAS – Em compras acima de BSD25.

MÉXICO – Em compras acima de P$1.200.



1Compra 336x280

AMÉRICA DO NORTE:

ESTADOS UNIDOS – Não existe devolução de imposto. Mas, há Estados onde não é cobrado imposto sobre os produtos, como Alaska, Montana, New Hampshire, Delaware e Oregon.

EUROPA:

ALEMANHA – Em compras acima de EUR25.

DINAMARCA – Em compras acima de DKK300.

ESPANHA – Em compras acima de EUR90.16.

FRANÇA – Em compras acima de EUR175.01.

GRÉCIA – Em compras acima de EUR50.

HOLANDA – Em compras acima de EUR50.

INGLATERRA – Em compras acima de GBP30.

IRLANDA – Em compras acima de EUR30.

ITÁLIA – Em compras acima de EUR154,95.

NORUEGA – Em compras acima de NOK290.

PORTUGAL – Em compras acima de EUR61.35.

SUÍÇA – Em compras acima de CHF300.

ÁFRICA:

MARROCOS – Em compras acima de MAD2000.

ÁSIA:

CHINA – Em compras acima de CNY500.

CORÉIA DO SUL – Em compras acima de KRW30000.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebookTwitter, e Snapchat).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

Como eu junto dinheiro para viajar

Conseguir juntar dinheiro é um desafio! Que pode ser vencido através de pequenos hábitos diários e grandes decisões de vida. Não existe mistério ou segredo na forma como nós juntamos dinheiro pra viajar. O que menos importa é o quanto você ganha, mas sim o quanto você consegue deixar de gastar, mês a mês, ano a ano, cada centavo economizado conta muito a longo prazo.

Nós temos algumas prioridades na nossa vida que motivam diariamente nossos hábitos de economia. Viajar todo o período de férias é um grande alvo de motivação para nós e vamos contar como juntamos dinheiro ao longo do ano para realizar entre 2 e 3 viagens por ano.

Alimentação: Um item que consome muito dinheiro e que não pode ser cortado da vida diária. Mas pode ser otimizado e sem perder a qualidade. Nós evitamos ao máximo comer fora de casa, em restaurantes, lanchonetes, o que for. Tentamos sempre fazer as principais refeições em casa, levar marmita para o trabalho e até o lanche do meio da tarde. Eventualmente, em ocasiões especiais nós gastamos para comer em restaurantes, mas são a exceção e não a regra diária.

Transporte: Nós não temos carro. Eu uso o transporte público para ir para o trabalho e o Willian usa a bicicleta. Quando precisamos usamos taxi, uber ou até alugamos carros. O essencial nesse item é que não temos a preocupação e o gasto de manter um veículo, além da perda econômica com o seu valor de aquisição. Essa é uma possibilidade para nós pela localização em que moramos, e escolhemos nosso local de moradia pensando justamente nisso.

rentcars-banner

Compras: Praticamente só compramos quando o produto está em liquidação. Evitamos todo tipo de compra por impulso. Compramos muitas das coisas on-line em lojas parceiras de cias aéreas o que nos ajuda a juntar milhas pra viajar.

Férias na baixa temporada: Só viajamos na baixa temporada. Os preços das passagens são mais baixos, a hospedagem tem mais opções disponíveis e descontos. E os passeios também tem valores promocionais.

post-banner

Não temos filhos: Conseguimos planejar melhor os gastos porque não temos que sustentar um filho. Por enquanto vivemos essa realidade, sabemos que filhos são prioridade na vidade de qualquer pessoa e gastos sempre são imprevisíveis.

Pode ser que você consiga juntar pouco no começo, mas o importante é criar o hábito.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebookTwitter, e Snapchat).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

%d blogueiros gostam disto: