Como tirar o Passaporte Brasileiro (tutorial)

Tudo pronto pra próxima viagem? E o passaporte? Não tem? Venceu?

Calma que nós preparamos um tutorial completinho pra você ver e aprender como preencher a requisição para requerer o seu passaporte.

Muito importante! Não deixe pra última hora, pois nos últimos anos tem acontecido reiteradas paralisações na emissão dos passaportes e alguns problemas com a entrega dos documentos prontos. Evite dor de cabeça.

O passaporte brasileiro tem validade de 10 anos, então não precisa deixar pra solicitar pouco tempo antes de viajar, pois a validade é longa.

Digo isto, porque antigamente quando era de somente 5 anos, costumava-se solicitar só antes da viagem, pois os últimos 6 meses de validade do documento também são considerados perdidos.

É que para entrar em um país estrangeiro o viajante precisa comprovar que naquela data o seu passaporte ainda tem 6 meses de validade. Daí porque se a viagem for acontecer com 6 meses ou menos do prazo de vencimento do passaporte é extremamente recomendável que seja solicitado outro documento.

Agora o passo a passo, está tudo lá no vídeo, é muito simples, mas alguns campos precisam de mais atenção.

Está esperando o que?

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (InstagramFacebook, e  Twitter).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

via IFTTT

Países e Imigração (nossa experiência)

Falar sobre as nossas experiências ao passar pelo controle imigratório de cada país é um pedido bastante recorrente.

Já visitamos alguns países nas nossas viagens e pretendemos visitar muitos mais. Cada país tem sua própria cultura, economia e política e essas diferenças muitas vezes definem a forma como os estrangeiros são recebidos. O controle de imigração pode ser muito tranquilo ou muito rígido dependendo de cada lugar.

Todas as nossas viagens foram com o propósito de turismo e tiveram no máximo 25 dias de duração. Para aqueles que pretendem viajar a trabalho ou com finalidade de intercâmbio existe toda uma exigência prévia, diferente da que acontece com o viajante turista.

Como turistas, nós já viajamos em casal, em grupo e a Patricia já viajou sozinha algumas vezes.

Já visitamos quase todos os países da América do Sul, América no Norte e alguns países da Europa.

Basicamente sempre foram feitas as mesmas perguntas, em espanhol, no caso da América do Sul e em inglês, no caso da América do Norte e Europa. Em poucas oportunidades, não nos perguntaram nada.

As perguntas básicas, quando são feitas, são: De onde você está vindo? Para onde você vai? Quantos dias pretende ficar? Vai para alguma cidade além desta em que está desembarcando? Qual o propósito da viagem? Onde você vai se hospedar? Que tipo de hospedagem é este local (no caso de Airbnb)?

Feitas as perguntas e respondidas a contento, o passaporte é carimbado e nós somos liberados.

Muitas pessoas perguntam o que fazer quando não se sabe falar o idioma local ou o inglês. Dificilmente haverá um funcionário que fale português, nunca conte com isso. O que nós recomendamos, e sempre fazemos, mesmo quando sabemos falar o idioma, é levar todas as informações que podem ser requeridas, escritas em inglês ou no idioma local, em forma de roteiro mesmo, e mostrar para o oficial da imigração. E todas as reservas de passagens, hotéis, locação de imóvel,  veículo, ingressos, impresso.

Quando o controle imigratório é mais rígido ou existe alguma suspeita sobre o visitante estrangeiro serão feitas outras perguntas tentando descartar a hipótese de entrada ilegal no país.

Nesse caso, prepare-se pois eles podem perguntar tudo o que quiserem, e se não estiverem satisfeitos você será levado para uma sala para maiores indagações. Aí podem perguntar: Quanto dinheiro você tem? Como você pretende se manter durante a viagem? Por quê você não tem seguro viagem? Por quê você está trazendo tudo isso de bagagem para essa quantidade de dias? Por quê você pretende ficar todos esses dias? Onde está a sua comprovação de passagem de retorno? Onde está a sua reserva de hospedagem? Qual o relacionamento você tem com a pessoa que está convidando para a hospedagem (no caso de carta convite)?

Esteja sempre preparado para entender o que lhe é perguntado e responder com a verdade.

Nunca responda sim ou positivamente a uma pergunta que você não entendeu.

Se por qualquer motivo se sentir desconfortável com as perguntas, tente demonstrar que não está compreendendo e peça por um tradutor. Pode não existir um tradutor e em alguns casos já ouvimos relatos de que foram chamadas pessoas da própria fila para traduzir a entrevista.

Nenhuma dessas situações de maior questionamento ocorreu conosco, mas temos notícia de amigos e conhecidos que já passaram por algumas delas.

Infelizmente, na pior das hipóteses, caso o setor de imigração entenda que você não se encaixa no perfil de turista ocorrerá a deportação. A maioria das vezes em que soubemos de histórias desse tipo o viajante ou não possuía a passagem de retorno ao Brasil, ou estava com a hospedagem garantida por meio de carta convite.

De forma alguma a carta convite é um meio ilegal, em muitos países é obrigatória, além do visto de entrada. Certifique-se de que a pessoa que realiza o convite para a sua hospedagem é um cidadão ou residente legalizado e pode legalmente convidar um estrangeiro para se hospedar em sua residência.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais (Instagram, Facebook, Twitter, e Snapchat).

Um beijo e até o próximo post.

Essa publicação pode conter conteúdo publicitário e redirecionamento para parceiros do Blog.

via IFTTT

Dicas práticas para a sua viagem – Seja Prevenido

Preparar um roteiro de viagem é essencial para mim. E eu recomendo que todos os viajantes façam um, mesmo aqueles que contratam uma agência de viagem e um pacote com atividades planejadas para todos os dias.

Nos meus roteiros de viagem além de colocar informações sobre o lugar que eu vou visitar eu coloco os dados dos voos, da hospedagem, telefones úteis, e uma previsão do que farei em cada dia da viagem.

Crio listas do que preciso levar e vou acrescentando os itens durante todo o planejamento e pesquisa da viagem.

Crio listas de coisas que eu gostaria de comprar e dos endereços das lojas onde poderei encontrar os produtos.

Depois de tudo pronto, envio uma cópia para a família e amigos e assim além de poderem acompanhar a viagem, saberão onde eu posso ser encontrada caso aconteça algum imprevisto.

Salvo uma cópia desse roteiro e traduzo tudo para o idioma falado no destino da viagem, assim se eu precisar de alguma ajuda, já tenho uma cópia do meu planejamento no idioma local.

Outra dica importante é ter uma cópia impressa e outra salva em um e-mail ou drive nas nuvens.

Ter cópia dos cartões de crédito e documentos também é  essencial e nunca deve ser guardada junto com os originais, pois elas servem exatamente como substitutos emergenciais destes no caso de perda ou roubo.

Na bagagem de bordo, sempre levo uma muda de roupa e itens essenciais de higiene, caso minha mala seja extraviada.

Assista o vídeo, se inscreva no blog e no canal e siga a gente nas redes sociais.

Um beijo e até o próximo post.

via IFTTT

Como obter o visto para outro país

Parte do planejamento de uma viagem é a obtenção do visto de entrada no país de destino, quando é exigido um.
Essa formalidade deixa muitos viajantes confusos com o preenchimento do formulário de informações sobre o viajante.
Nesse vídeo eu dou algumas dicas que considero essenciais para a construção do perfil do viajante nas respostas do formulário.
Sempre responda às perguntas com a verdade;
As respostas para todas as perguntas relacionadas ao custeio da viagem e da situação financeira do viajante devem considerar a situação financeira global do núcleo familiar em que o viajante está inserido, principalmente estudantes e/ou menores de 21 anos;
Deve ser declarado o valor bruto da renda do viajante e/ou da família;
Estudantes, filhos de pais separados ou ainda que moram com avós e outros parentes devem considerar a renda de todas essas pessoas que são responsáveis pelo seu sustento e vão contribuir de alguma forma com a viagem;
Pessoas que trabalham de forma informal em empresas familiares e não recebem um valor fixo como salário mensal, devem declarar o faturamento da micro empresa e mencionar que exercem uma colaboração na empresa da família;
O patrimônio imobiliário da família, ainda que pendente de financiamento bancário, também conta como patrimônio do viajante e ajuda a construir laços com o país de origem.
O formulário possui inúmeras perguntas e deve ser respondido atentamente pelo viajante, sempre com respostas que podem ser comprovadas caso seja solicitado algum documento no momento da entrevista.
Caso não se sinta confiante em responder sozinho solicite a ajuda de um profissional (despachante) que é o profissional indicado para atuar junto aos consulados.
Assista o vídeo e veja a explicação toda.
Se inscreva no blog, no canal e siga a gente nas redes sociais.
Um beijo e até o próximo post.

via IFTTT